domingo, 13 de abril de 2008

Bioglobalização de pragas: espécies invasoras

*Bagre africano(Clarias gariepinus)

As mudanças nos padrões de alimentação da sociedade moderna vêm contribuindo para a chamada “invasão biológica” ou seja, o surgimento de organismos em áreas onde não ocorriam. Define-se como invasão biológica ou organismos invasores quaisquer microrganismos (invertebrados), plantas e animais (vertebrados), introduzidos intencionalmente ou não, em novos habitats, causando danos econômicos, sociais e ambientais tanto nos diferentes ecossistemas como no setor sócioeconômico de uma região. O termo “espécies invasoras exóticas” é, também, sinônimo de organismos invasores.

A entrada de um único organismo de efeito daninho em uma região pode causar um colapso econômico de efeito social devastador, em um país. Na história da humanidade, retrocedendo algumas décadas, apesar dos relatos de invasões biológicas serem esparsos eles mostraram a seriedade do problema, seja na área humana, agrícola, florestal ou ambiental.

Na área da saúde humana, exemplos que não devem ser esquecidos, como a peste bubônica, causado pelo bacilo de Yersin, Pasturella pestis e transmitida por pulgas que vivem em ratos (Rattus rattus) se disseminou da região asiática para o norte da África, Europa e China, matando na Idade Média, um terço da população desses continentes; o vírus causador da varíola e do sarampo foi introduzido no hemisfério ocidental através de colonizadores europeus que praticamente dizimou os índios dos impérios asteca e inca. Além de outros como a tuberculose, a lepra, vírus da influenza, gonorréia, são alguns poucos exemplos a serem citados.


*Lagosta-vermelha(Procambarus clarkii)

Na agricultura, a fome que assolou a Irlanda, em 1840, provocada pelo fungo, Phytophtora infestans, que ataca a batata. Além dos prejuízos causados aos agricultores da época, o maior agravante foi à perda de vidas humanas pela fome com estimativas de um milhão de pessoas. Outras (cerca de um milhão e meio) deixaram a Irlanda principalmente com destino à América do Norte, as quais também padeceram pela introdução do fungo naquela região.

Outras espécies como as moscas das frutas, pulgões, cancro cítrico, foram, igualmente, responsáveis por grandes prejuízos em áreas agrícolas, citando alguns exemplos. Entretanto, se em algumas centenas de anos atrás, as chamadas barreiras naturais formadas pelos oceanos, cordilheiras e florestas eram impedimentos da dispersão rápida desses organismos, no momento atual, o aumento da velocidade dos meios de transporte, do trânsito de bens de consumo e de pessoas vem facilitando, cada vez mais, o estabelecimento e domínio dos ecossistemas agrícolas, urbanos e naturais por diversas outras espécies.


*Tilápia nilótica(Oreochromis niloticus)

Recentemente, a entrada de Anoplophora glabripennis, vulgarmente conhecido como besouro chinês e de Tonicus piniperda (besouro dos brotos do pinheiro), nos Estados Unidos, ocasionaram perdas econômicas superiores a US$ 10 milhões. Os danos ambientais provocados pelo corte de árvores em praças públicas e áreas de produção florestal, são incalculáveis. Outras pragas como o mal-da-vaca louca, a gripe asiática do frango, a febre aftosa, o besouro asiático, a doença do carvalho, a dispersão do cancro cítrico e da mosca-branca, além de causarem perdas e danos na agropecuária, também contribuem para a formação de barreiras sanitárias ao comércio.

Numa busca para solucionar esses problemas, as comunidades científicas de vários países estabeleceram, em 1997, o Programa Global para Espécies Invasoras (GISP). O GISP foi estabelecido para lidar com o problema das espécies invasoras e dar suporte à implantação do Artigo 8(h) da Convenção da Diversidade Biológica. Ele é operado por um consórcio entre o Comitê Científico em Problemas Ambientais (SCOPE), CAB Internacional (CABI), União Mundial de Conservação (IUCN), em parceria com o Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP). Uma lista das cem piores espécies invasoras do mundo foi elaborada pela IUCN, como forma de alertar os países para a possível introdução de alguma dessas espécies.

Maria Regina Vilarinho de Oliveira
Pesquisadora, Doutora
Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia



7 comentários:

Don Saulo disse...

Pois é fera, em minha casa de praia está cheio de caramujos africanos...

Yoshiharu Saito disse...

Eeeeeeeeca!!! Aquilo é a visão do inferno! Raras são as bioinvasões tão maciças como as do caramujo-africano. As ações de erradicação deste invasor geralmente são mal-sucedidas, pois é necessário interromper por completo o ciclo de vida do molusco que inclui tornar o ambiente inóspito para a deposição dos ovos.

Entre 2004 e 2008 Mesquita enfrentou uma mega invasão que culminou com uma força-tarefa composta de moradores, centro de zoonoses e entidades civis organizadas, além de ONG's locais. Houve a coleta manual, limpeza dos logradouros públicos, remoção de lixo e campanha educacional.

Vejo como importantes medidas erradicadoras do molusco além das citadas acima, a monitoração permanente dos locais infestados em conformidade com as normas do Ministério da Saúde e Ministério da Agricultura.

Sua casa de praia deve ser na região da costa verde, né?

DR OSVALDO MILLE disse...

OLHA EM MINHA FAZENDA JA NAO DAVA MAIS PARA PLANTAR NADA FOI ENTAO QUE UM AMIGO DO RIO ESTEVE EM SAO PAULO AONDE O PESQUISADOR JOSE PONTES ESTAVA FAZENDO UMA PALESTRA ELE PEDIU UM POUCO UZOU EM SUA PROPIEDADE CHEAGANDO EM SUA CASA COLOCOU NUMA VAZILHA O CACHORRO TOMOU E O RESTO APLICOU E ME DEU UM POUCO MAIS COMO O PESQUISADOR TOAMAVA O PRODUTO NAO MDEU ATENÇAO ;COLOQUEI NA FAZENDEA ADEUS CARAMUJOS GIGANTES AFRICANOS ESTE PESQUISADOR TEM TENTADO AJUDA PARA REGISTRAR PATENTE E REGISTRO NO INMETRO ELE NAO CATA OS CARAMUJOS COM SACOS PLASTICOS SO LOUCO FARIA DE COLOCAR SUA VIDA EM RISCO CRIOU UMA INVENSAO;ONDE UM OBJETO DE PVC E A GENTE FICA 1 METRO LONGE DOS CARAMUJOS ;ESTAMOS AQUI VIEMOS EM 100 PESSOAS E DOIS ONIBUS E JA CHORAMOS CONTA CORRUPÇAO NO BRASIL CADE APOIO PARA ESTE HOMEN;ENTRE NO WWW.JLOCAL.COM.BR/NOTICIA.P.H.P?PESQUISA=1755]IRA VER QUE SOMENTE ELE TEM O PODER DE ERRADICAR ESTA PRAGA AGORA VAMOS COBRAR AS AUTORIDADES E IMPRENSA BRASILEIRA E AS ONGS PORQUE ATE HOJE ESTAO ESCONDENDO ESTAS INFORMAÇOES DA POPULAÇAO BRASILEIRA O CELULAR DO PESQUISADOR E DDXX48-96342847[ORKUT[JOSE PONTES REGISTRO] PESQUISADOR.JOSE.DE.PONTES@HOTMAIL.COM]
A PALESTRA DELE E TAO EMOTIVA NAO EXISTE NO MUNDO ALGUM CANTOR QUE DE A ALGUEM TANTA FELICIDADE E ESPERANÇA ESTE TEM O QUE ERRADICA OS CARAMUJOS NO MUNDO EM MINHA FAZENDA NAO EXISTE UM SEQUER PARA REMEDIO NAO PRECISOU FICAR OUVINDO BOBAGEM SAIR CATANDO SO PARA DOIDO

fazenda osorio disse...

BASTA ENTRAR NO IMAIL JOSE.C.PONTES@HOTMAIL.COM
OU LIGUE DDXX48-99107719

dr joao freitas disse...

eu ,pergunto as vezes o porque estes politicos ainda estao escondendo este homen de nos, cade o bispo da minha igreja universal fica mostrando mulhres nuas na fazenda enquanto, uma irma deu um testemunho que o bispo so pensa em dinheiro,nao e por amor a deus se soubese que todas as coletas qual damos a igreja, e quando esta irma precisou foi o pesquisador jose de pontes qual fez de graça para varias pessoas, cade a rede globo ou gugu ou fantastico, agora vejo que o preconseito e muito grande parabens pesquisador zeca preto, deus vem voce vai e o bispo fica

milton ristofem disse...

que vergonha mesmo cade a imprensa cade o gugu liberato , luciano , cade sera que o povo vai morrer no meio desta praga

VANIO FONSECA disse...

catar esta praga e uma loucura sou doutorado em biologia,e digo nao vale um diploma, reconhecendo este moço pesquisador zeca preto, deu um baile em todos doutores do brasil ao fazer os caramujo gigante parecer falar com ele, este sim e por deus.ninguem cate esta praga , nao adianta ,cade o tal globo rural